segunda-feira, 4 de fevereiro de 2019

Moro sobre ataques no Ceará: percepção é que situação está controlada

Foto: Marcelo Camargo/Ag. Brasil
O ministro da Justiça, Sérgio Moro, afirmou em coletiva de imprensa na tarde desta segunda-feira, 4, que está monitorando a situação no Ceará e que, por enquanto, ela parece estar controlada. "Tenho uma percepção, e claro que se pode mudar de opinião ao longo dos próximos dias, que a situação está controlada", disse.

Moro destacou o envio de centenas de homens da Força Nacional de Segurança e ressaltou que foram disponibilizados armamentos e recursos para o Estado.

Questionado sobre a avaliação que fazia sobre o Sistema Único de Segurança Pública (SUSP), ele disse que o mecanismo foi um "grande avanço da gestão anterior".

Moro apresentou aos governadores, em Brasília, nesta segunda-feira um pacote anticrime que propõe mudanças em 19 pontos e altera 14 leis do Código Penal, Código de Processo Penal, Lei de Execução Penal, Lei de Crimes Hediondos e Código Eleitoral. A proposta será encaminhada, agora, ao Congresso Nacional. 

"Não existe nenhuma licença para matar"

A proposta permite, entre outros pontos, que a ação de um policial para prevenir agressão ou risco de agressão a reféns seja considerada como legítima defesa. O ministro negou que o pacote dê aos policiais "licença para matar".

Ataques:
Desde o dia 2 de janeiro, criminosos começaram a atacar ônibus e prédios públicos e privados. As ações começaram na Região Metropolitana e se espalharam pelo interior. Nesta segunda, um caminhão foi incendiado na Rua Teodomiro de Castro, no Bairro Álvaro Weyne.

A onda de ataques começou no dia seguinte à nomeação do novo secretário de Administração Penitenciária, Mauro Albuquerque, que coordenou a apreensão de celulares, drogas e armas em celas dos presídios. Ele também declarou que não reconhecia a presença de facções e que o Estado iria parar de dividir presos conforme a filiação a grupos criminosos.

Diante da série de ataques que se espalharam pelo Ceará, o governo pediu apoio da Força Nacional. O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, autorizou o envio de mais de 400 agentes da Força Nacional para o estado.

Do início do ano até agora, o Estado já contabilizou 261 ataques. A Secretaria da Segurança Pública do Ceará confirmou que 461 pessoas já foram detidas por envolvimento nas ações criminosas.

Fonte: Diário do Nordeste
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário