segunda-feira, 21 de agosto de 2017

Desemprego no Ceará recua do primeiro para o segundo trimestre do ano, diz Ipece

O desemprego no Ceará recuou de 14,3 por cento para 13,0 por cento do primeiro trimestre de 2017 para o segundo trimestre do mesmo ano, o que representou redução de 1,3 ponto percentual, embora a Taxa de Desocupação do Ceará tenha saltado de 11,4 por cento para 13,0 por cento do segundo trimestre de 2016 para o segundo trimestre de 2017. Os dados estão no Enfoque Econômico nº 155 – Análise da Taxa de Desemprego do Ceará no Segundo Trimestre de 2017, publicado pelo Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece) e divulgados, nesta segunda-feira, pela assessoria de imprensa do órgão.
Embora a economia já esboce sinais de recuperação, ainda é cedo para dizer se o desemprego entrará em declínio nos próximos trimestres, observa Daniel Suliano, analista de políticas públicas do Instituto. Ele observa que parte dessa queda é resultante da queda da Taxa de Atividade no Estado, quando uma parcela do contingente de trabalhadores tende a se retirar da Força de Trabalho. Por outro lado, ocorreu uma elevação de 0,6 ponto percentual do Nível de Ocupação, o que revela uma tendência das pessoas se ocuparem, seja pelo surgimento de algum tipo de ocupação, seja pela maior geração de postos de trabalho indicando algum grau de reação da economia perante a queda da atividade econômica.
O documento analisa o comportamento do Mercado de Trabalho do Ceará a partir da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio Contínua (PNAD Contínua), publicação do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Mais especificamente, foi analisado um compêndio de variáveis a partir do primeiro trimestre de 2012, quando teve início a pesquisa da PNAD Contínua, até o segundo trimestre de 2017, foco principal da análise.
SERVIÇO
*Acesse o documento ENFOQUE ECONÔMICO 155 aqui
(Eliomar de Lima)
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário