quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

"Falha elétrica total e sem combustível" foi o motivo da queda do avião com time da Chapecoense

Áudio divulgado na tarde desta quarta-feira por veículo de imprensa da Colômbia revela o que foi o último diálogo entre o avião que transportava a delegação da Chapecoense e a torre de controle do aeroporto de Rionegro. O piloto comunicou "falha total elétrica e sem combustível".
No diálogo, de pouco mais de 11 minutos, se ouve a comunicação do avião LaMia CP-2933 - que levava jogadores e dirigentes da Chapecoense, jornalistas e convidados - e outras duas aeronaves que também sobrevoavam a área com a área de controle.
Já nos últimos três minutos registrados pelo áudio publicado, Miguel Quiroga, piloto do avião da Chapecoense, reporta estar em "falha total elétrica e sem combustível" e se declara em emergência. Antes, ele já havia falado sobre problema com combustível, mas sem pedir emergência.
Nos primeiros minutos do áudio, a controladora explica às aeronaves que se aproximavam que haviam um avião (da VivaColombia) que reportou "fuga de combustível". Quiroga diz que está "em aproximação" e solicita "prioridade para a aproximação", por ter "um problema de combustível".
A torre responde que "entende o pedido de prioridade para a aterrissagem" e pede confirmação. A voz do piloto não é clara neste momento, mas ela prossegue dizendo que "em aproximadamente sete minutos" poderá iniciar a aproximação.
Na reta final do áudio, pouco mais de um minuto depois de dizer que estava "em falha total elétrica e sem combustível", Quiroga grita "vetores, senhorita, vetores - como havia descrito testemunha em outro áudio divulgado nesta quarta-feira. A torre avisa que ele está a 8,2 milhas do aeroporto, e pouco depois se ouve "Jesus".
A torre de comando pergunta então a que altitude a aeronave está naquele momento, mas não recebe mais resposta. O último diálogo registrado no áudio é do piloto de outra aeronave consultando o rumo a seguir para realizar seu pouso.
Mais cedo, Alfredo Bocanegra, diretor da Aeronáutica Civil da Colômbia, havia concedido entrevista à rádio local "Blu" e explicado a diferença entre pedido de "prioridade" e "emergência".

Nenhum comentário:

Postar um comentário