segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Temer gravado e o fantasma do impeachment à solta


O Governo de Michel Temer parece estar desmoronando mais cedo que se imaginava. A crise do espigão baiano derrubou Geddel e, de quebra, colocou Temer na berlinda, com relação a acusação de tráfico de influência. Em depoimento à Polícia Federal, o ex-ministro da Cultura, Marcelo Calero, disse que Temer o pressionou para liberar a obra em favor de Geddel; Pior, ele entregou gravações que comprovam suas afirmações. Estavam grampeados, além de Temer, o ministro Geddel Vieira Lima, Secretaria de Governo, e Eliseu Padilha, Casa Civil.

A informação bombástica, caiu como prato cheio para a oposição, liderada pelo recém desgovernado PT, que não perdeu tempo e, liderado pelo senador Lindberg Farias, pediu o impeachment de Temer. Pelo menos, por enquanto, é pouco provável que a vontade prospere no Congresso; mas, os petistas sabem disso. Na verdade, a tática é jogar combustível nas manifestações populares e motivar mais ocupações, intensificando o coro pelo “Fora Temer”.

As gravações de Marcelo Calero já estão nas mãos do Ministério da Justiça. Geddel já é investigado pela comissão de ética do Governo e será denunciado pela Procuradoria-Geral da República, por ter cometido os crimes de advocacia administrativa, usando seu cargo público em benefício próprio. A isso, dá-se o nome de tráfico de influência.
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário